Quem tem um "porquê" suporta qualquer "como"

Quem tem um porquê enfrenta qualquer como!
.
Sim, um propósito, um motivo maior. Algo que transporte sua alma a outro plano, onde é possível encarar os desafios atuais como parte das pedras a serem desviadas ou superadas no caminho.
.
Pessoas com um "porquê" reclamam menos, agem mais.
Pessoas com propósito sabem literalmente visualizar o futuro pois o constroem diariamente.
.
Há pessoas ligadas à uma Causa e há pessoas ligadas à tarefa. Ao conversar com uma pessoa ligada à Causa você sente nela a visão de futuro. Ela sabe dizer o porquê de estar fazendo o que faz. Pessoas ligadas à tarefa somente dizem o que fazem sem mencionar o porquê. Que em geral, desconhecem.
.
Como você está hoje? Na Causa ou na tarefa? E tua equipe?
.
Faz sentido isso?

Capturar.PNG

#Experimentoescutatória

Quem "Escuta bonito". Nesta minha caminhada, em meio a equipes e postulantes a líderes, tenho encontrado vários desafios. Contudo, nenhum é mais frequente que a inabilidade de escuta das pessoas. A ansiedade, os atropelos, o pensamento acelerado a cada dia aumentam a distância entre os corações. Cada um quer ser ouvido, mas poucos dedicam-se a realmente escutar.

Vivendo em um clima onde a necessidade de dizer, de ser visto, de ser percebido, passa a ser a tônica dos relacionamentos, passamos pelo jardim sem admirar as flores. Quilômetros separam almas nas mesas de jantar, nos ambientes de trabalho, nos bancos da praça. Pessoas que tem muito a dizer, mas pouco a escutar habitam no mesmo ambiente sem serem vistas.

Ambientes familiares e corporativos transformados em verdadeiros abismos onde a fala tem prioridade ou onde a tela do celular possui a preferência na comunicação.
Já percebeu como é difícil de relacionar-se com quem fala muito e ouve pouco?
Pessoas que despejam argumentos, inundam o ambiente de prosas e convicções, mas que muito raramente investem tempo para prestar atenção nos assuntos ao redor. Pessoas assim até fingem que te ouvem, mas no primeiro momento em que você pára para respirar, assumem o controle e já começam um novo assunto.

Mas como é gostoso conviver com quem sabe escutar paciente e atenciosamente. Como é prazeroso estar com quem "escuta bonito". Pessoas queridas, que sabem como poucos como cultivar laços duradouros. Sabem que a chave para conectar almas está na escuta dos sons do coração do outro.

Você conhece gente assim?
Conte aqui como é que essa pessoa faz quando "escuta bonito"? Como age, quando faz isso? Como faz? Preste a homenagem e descreva essa boa prática pra gente. 😉

Aproveite e me siga no Instagram, lá eu tenho postagens diárias sobre assuntos como esse.

https://www.instagram.com/rodrigoleiteeducacao/

@rodrigoleiteeducacao

Vítima ou Protagonista?

Quando perguntar a alguém sobre o motivo de suas falhas, preste atenção à resposta. Há quem diga que não conseguiu por causa do clima, do chefe, do mercado, dos pais, filhos... São hábeis em encontrar a quem culpar.
Há outras que imediatamente assumem a responsabilidade pelo resultado. Sabem que são atores do seu destino e que possuem sim, parcela de sua ação ou inação, no ocorrido.

Os do 1o. grupo chamamos de vítimas, e os do 2o de protagonistas.

Capturar.PNG



Quem é vítima sempre encontrará alguém pra culpar. Um protagonista assume a sua responsabilidade. Há uma grande diferença nisso!

Conviver com vitimismos é muito cansativo, pouco producente. Protagonistas, usam o tempo que tem para agir e não para culpar ou reclamar.

Anotei algumas dicas para que você assuma seu papel protagonista:

🎯 Observe em quais momentos você agiu ou deixou de agir para que o problema ocorresse.

🎯 Pergunte-se como posso fazer isso melhor e diferente?

🎯 Aprenda que errar faz parte do processo.

🎯 Aplique o mindset de crescimento, ou seja, o que aprendi com esse erro?

🎯 Quais elementos ocorreram e quando ocorrem para que possa prevenir sua repetição?

🎯 Ensine e compartilhe sua história de aprendizados. Todos crescem e melhoram contigo.

Portanto, não é uma questão de culpa mas de responsabilidade.
Isso é conversa de adultos e não de criança mimada que não aceita que mexam no brinquedo dela ok? Vítimas agem como crianças choronas, que culpam o irmãozinho, o cachorro... Aprendem rápido como apontar o dedo a alguém.
Lembre-se de que sua reputação chegará antes de você em qualquer lugar que vá!! Forte abraço!